Cineteka.com - Videoclube de culto para cinéfilos exigentes
Videoclube Adesão Ajuda Preçário Contactos Parcerias Login

Brevemente... Novidades Promoção TOP + Reposições Premiados Ao Acaso Acção Animação Aventura Biografia Clássico Comédia Crime/Policial Desporto Documentário Drama Família Fantasia Ficção C. Film Noir Guerra História Musical Religião Romance Séries/TV Terror Thriller Viagens Western Erótico
Os Quatrocentos Golpes (Les Quatre Cents Coups)
TrailerAlugar
6 Prémios e 4 Nomeações
Realização:
François Truffaut
Ano: 1959
País:
França
Idade: M/12
Duração: 99 min
IMDB: 8.1 (24.085 votos)
“Os Quatrocentos Golpes" é a primeira longa-metragem de Truffaut, foi filmado em 1959 e é o primeiro DVD da série AS AVENTURAS DE ANTOINE DOINEL que se enquadra no seu projecto de acompanhar personagens ao longo dos anos através dos actores que as representam e que, tal como elas, também envelhecem e também contam “histórias de vidas”. Antoine Doinel tem catorze anos. Na escola, não pára e arranja problemas com a professora que o castiga por ter escrito nas paredes da sala de aula. Em casa, os pais são indiferentes à sua presença e não sabem o que fazer com ele durante as férias. Antoine faz gazeta à escola com o colega René e surpreende a mãe nos braços do seu amante. A vida do jovem Antoine parece que será vivida sob o signo da mentira e do desenrasque.
Detalhes Técnicos
Duração: 99 min. Vídeo: Widescreen 2.35:1 anamórfico
Áudio: Francês
Legendas: Português,
Comentários dos utilizadores: Escreva um comentário sobre este título
Um Filme Interrogativo (Pontuação: 9)
Este filme inaugural de François Truffaut é considerado também o filme inaugural da 'Nouvelle Vague' do cinema francês dos anos sessenta, chamada a Nova Vaga em português. Como curiosidade, consta que é um filme largamente autobiográfico. Trata da história de um jovem indomável no início da adolescência, que faz "trinta por uma linha", expressão que deveria ter sido a tradução da expressão idiomática francesa 'les 400 coups'. A interpretação do jovem Jean-Pierre Léaud é convincente, ao contrário do seu trabalho de actor depois de adulto, até à actualidade. Encontramos realmente neste filme uma nova forma de filmar, e de filmar realidades suas contemporâneas, incluindo a cidade de Paris em 1959, à qual somos inevitavelmente transportados ao ver Les 400 Coups. À medida que Antoine Doinel, o personagem, vai basculando para fora de todas as instituições em direcção ao crime, somos realmente perturbados sobre o que são o livre-arbítrio e o destino: por um lado, Doinel é marcado desde que nasce por circunstâncias muito desfavoráveis, por outro lado sentimos que ele se deixa deslizar alegremente a caminho da exclusão. Ao vê-lo no close-up paralítico final, só espectadores optimistas darão "alguma coisa" por aquele pequeno delinquente em formação sozinho no mundo. No fundo, a imagem final da abertura da Nouvelle Vague é uma interrogação, e Doinel (Truffaut?) pergunta ao espectador "que pensas tu sobre mim?". Não apenas é feita essa pergunta, sem o ser explicitamente, como ao longo do filme somos confrontados com muitas outras interrogações e perplexidades acerca do nosso mundo. Les 400 Coups é um filme interrogativo, e muito eficaz.
Por Pedro Fernandes (PAçO DE ARCOS)2018-12-27
Era uma vez na Paris pós-guerra
Os 4oo Golpes é um dos filmes que marcou o inicio da Nouvelle Vague, carreira de Jean-Pierre Léaud e da carreira de François Truffaut. Este elegante filme que retrata a vida de um jovem, Antoine Doinel, que tem uma tendência para quebrar barreiras morais. Doinel e René faltam às aulas para se divertirem, fumam e divertem-se a caminharem, sem destino ao longo da renascida Paris, da pós-guerra. Estes dois representam uma geração que o professor pensa como a perdição da "França daqui a 10 anos". Doinel é um jovem com carácter forte e destemido. Adora cinema em vez de desporto, apaixona-se por Balzac e não dispensa um cigarro com o seu amigo René. Um filme cheio de vida, que nos apresenta o galã e aventureiro ANTOINE DOINEL, um verdadeiro homem do Romantismo que vive em sofrimento porque sempre lhe faltou amor e carinho por parte da mãe. Quanto à realização de Truffaut é simplesmente divinal. E as cenas nas salas de aulas são todas deliciosas. Uma obra de arte!
Por Nelson Leão (REBORDOSA)2011-09-28
Para apreciadores de cinema Francês (Pontuação: 8)
Para os ( cada vez mais ) apreciadores de cinema Francês, aqui estão 12 filmes das décadas de 50 a 80, para matar saudades. Este tipo de cinema é cada vez mais dificil de encontrar, por isso é de aproveitar !! Fiquei agradavelmente surpreendido, uma vez que confesso que não era muito cohecedor deste realizador.
Por Anúbis (LISBOA)2010-10-23
Se gostou deste título, também recomendamos:
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer

Últimos comentáriosPróximos Lançamentos
28/Nov
Trailer
04/Dez
Trailer