Cineteka.com - Videoclube de culto para cinéfilos exigentes
Videoclube Adesão Ajuda Preçário Contactos Parcerias Login

Brevemente... Novidades Promoção TOP + Reposições Premiados Ao Acaso Acção Animação Aventura Biografia Clássico Comédia Crime/Policial Desporto Documentário Drama Família Fantasia Ficção C. Film Noir Guerra História Musical Religião Romance Séries/TV Terror Thriller Viagens Western Erótico
Rogue - Morte Súbita (Rogue)
TrailerAlugar
1 Prémio e 3 Nomeações
Realização:
Greg Mclean
Argumento:
Greg Mclean
Ano: 2007
Idade: M/16
Duração: 92 min
IMDB: 6.5 (7.478 votos)
Pete é um jornalista americano que vai à Austrália para fazer uma reportagem sobre a indústria turística. Nesta sua aventura vai-se juntar a um grupo de turistas e a uma atraente guia, para realizar um cruzeiro pelo rio do Parque Nacional de Kakadu.

Tudo corre dentro da normalidade, até que de repente o barco é sacudido por um crocodilo gigante, obrigando-os a refugiar numa pequena ilha.

Quando a noite cai, o grupo de turistas torna-se numa presa fácil para o crocodilo.

Começa então uma luta feroz pela sobrevivência num dos lugares mais inóspitos do mundo.

Apenas um poderá sair vencedor.
Detalhes Técnicos
Duração: 92 min. Vídeo: Widescreen 16:9 anamórfico
Áudio: Dolby Digital 5.1 Inglês
Legendas: Português,
Comentários dos utilizadores: Escreva um comentário sobre este título
Rogue (Pontuação: 2)
"Rogue" chamou-me à atenção por alguns aspectos: começou primeiramente pela sua pontuação no IMDB, que dentro de um filme de Acção/Terror teve uma pontuação muito aceitável, depois, pela sinopse, que, no meu ponto de vista, revelou uma história diferente, tendo em conta a criatura em causa e, por fim, porque queria comparar este filme com o filme "Crocodilo" de 2000, de Tobe Hooper, que também foi um filme medíocre (mas, filmes com crocodilos, não há muito por onde comparar).

Posso então dizer que foi uma grande desilusão e, comparado com "Crocodilo", este filme fica ainda mais abaixo. Isto porque tem cenas muito previsíveis e a história não era bem o que esperava.
Ainda ontem li uma coisa num livro, "A Pipoca Mais Doce - o Livro" de Ana Garcia Martins, por mera curiosidade (e calhou na página ideal), uma pequena parte que falava naquelas coisas típicas dos filmes de terror. Ao ver o filme, ia-me lembrado do que li no livro e achei que faltava uma coisa muito típica nos filmes de terror: quando uma personagem está encurralada, normalmente com os actores principais, existe sempre um objecto que aparece nesse local, muitas vezes por "magia", que faz com que ela ataque o vilão ou consiga arranjar uma saída noutro local qualquer - neste filme, acontecem umas duas vezes. Ou então vemos cenas ridículas, como uma personagem que é violentamente agredida pelo animal, com os músculos nas pernas, braços e peito cortados e que aparece minutos depois, sem quaisquer tratamentos médicos, deitada, com uma expressão, não de dor, desespero, mas sim como quem acorda bem disposto num dia de sol (como se uns músculos cortados fosse uma coisa fácil de aguentar ou até mesmo positiva).
Achei mesmo que a única coisa positiva no filme é o crocodilo, os efeitos tornam a criatura sinistra e muito maior do que estava a espera, muito bem conseguido. O filme peca mesmo pela ridicularidade de algumas cenas (não vou menciona-las todas, obviamente)
Por Pedro Miguel Pereira (VILA NOVA DE GAIA)2010-08-21
Se gostou deste título, também recomendamos:
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer

Últimos comentáriosPróximos Lançamentos