Cineteka.com - Videoclube de culto para cinéfilos exigentes
Videoclube Adesão Ajuda Preçário Contactos Parcerias Login

Brevemente... Novidades Promoção TOP + Reposições Premiados Ao Acaso Acção Animação Aventura Biografia Clássico Comédia Crime/Policial Desporto Documentário Drama Família Fantasia Ficção C. Film Noir Guerra História Musical Religião Romance Séries/TV Terror Thriller Viagens Western Erótico
Haverá Sangue (There Will Be Blood)
TrailerAlugar
50 Prémios e 45 Nomeações
Ano: 2007
Género:
Drama
País:
EUA
Idade: M/12
Duração: 160 min
IMDB: 8.3 (84.000 votos)
Um intrigante épico sobre a família, fé e petróleo, «HAVERÁ SANGUE» decorre na fronteira da Califórnia durante o boom petrolífero do virar do século.
A história relata a vida e os tempos de um Daniel Plainview, que evolui de um prospector de prata que cria, sozinho, um filho para um magnata do petróleo.
Quando Plainview recebe uma misteriosa dica de que numa pequena cidade do Oeste um oceano de petróleo está revelar-se à superfície, dirige-se até lá com o seu filho, H.W., para tentar a sua sorte na degradada Little Boston.
Nesta miserável cidade onde a maior excitação se centra em torno dos fervorosos seguidores da igreja do carismático pregador Eli Sunday, Plainview e H.W. ganham a sorte grande.
Com o decorrer do tempo e o aumento da fortuna, nada se mantém igual e à medida que os conflitos vão aumentando todos os valores humanos – amor, esperança, comunidade, fé, ambição e mesmo os laços que unem pais e filhos – são ameaçados pela corrupção, decepção e pelo fluxo do petróleo.
Detalhes Técnicos
Duração: 160 min. Vídeo: Widescreen 2.35:1 anamórfico
Áudio: Dolby Digital 5.1 Inglês Espanhol
Legendas: Português, Inglês, Espanhol,
Comentários dos utilizadores: Escreva um comentário sobre este título
Não gostei (Pontuação: 4)
Já vi e não gostei.....
Por Marmar (TROFA)2010-08-02
Um dos melhores filmes de 2008 (Pontuação: 10)
Este grande filme que retrata os primórdios da descoberta do petróleo e da construção de 1 fortuna á custa disso. Escusado será destacar Daniel Day Lewis, grande como sempre, a relação com o seu “ filho”, o abandono, a relação com o pregador aonde destaco a cena final entre Day lewis e Paul Dano, Soberbo.
Por Sara Pereira (ARGONCILHE)2009-10-08
A Febre do Ouro Negro! (Pontuação: 9)
Raramente o princípio dos filmes contém imagens que são quase mais poderosas que o próprio filme. "Haverá Sangue" tem essa vantagem. Os primeiros dez minutos de filme, em que se vê uma personagem de nome (viremos a sabê-lo mais tarde) Daniel Plainview a trabalhar num buraco pouco mais largo que ele e tudo aquilo que se segue, são extremamente poderosos e, de certa maneira, marcam todo o filme daí para a frente.
A acção passa-se na viragem do século XIX para o século XX na califórnia numa altura em que o negócio do petróleo ainda se encontrava numa fase embrionária com os primeiros prospectores a começar a desbravar caminho. Daniel Plainview (Daniel Day-Lewis) é um desses prospectores com um faro especial para descobrir e adquirir terrenos, quase a custo zero, onde o ouro negro existe. A sua ambição é desmedida o que lhe trará inevitáveis consequências.
Realizado por Paul Thomas Anderson, que já nos havia dado o "softcore" "Boogie Nights" que revitalizou a carreira de Burt Reynolds, ou o intrigante "Magnolia"com Tom Cruise, Julianne Moore, Jason Robards e Philip Seymour Hoffman, "Haverá sangue" tem um toque de filme épico mas o realizador não chega a entrar no género. Produção cuidada, com uma especial atenção ao pormenor principalmente ao detalhe da época. Aliás, Paul Thomas Anderson, disse que o seu filme era como um familiar, embora distante de "O Gigante"(George Stevens, 1956) que, de uma forma muito mais épica, tratou o mesmo tema.
Indiscutivelmente o filme pertence todo a Daniel Day-Lewis, que merecidamente venceu o Oscar de Melhor Actor do Ano, embora seja só na segunda parte do filme, mais concretamente na sequência da conversão de Daniel Plainview, que o actor ganha o filme por completo e, por acréscimo, a estatueta; simplesmente brilhante e inesquecível. Paul Dano no duplo papel de Paul Sunday e do reverendo Eli Sunday, o verdadeiro opositor de Plainview durante todo o filme e responsável pela sua conversão, também contribui para que o filme seja uma experiência quase brutal. Outro aspecto marcante e igualmente importante do filme é a fotografia, também premiada com o Oscar de Melhor Fotografia.
A não perder!
Por Rui Cunha (ALGUEIRÃO)2009-02-02
Se gostou deste título, também recomendamos:
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer

Últimos comentáriosPróximos Lançamentos
22/Ago
Trailer
05/Set
Trailer