Cineteka.com - Videoclube de culto para cinéfilos exigentes
Videoclube Adesão Ajuda Preçário Contactos Parcerias Login

Brevemente... Novidades Promoção TOP + Reposições Premiados Ao Acaso Acção Animação Aventura Biografia Clássico Comédia Crime/Policial Desporto Documentário Drama Família Fantasia Ficção C. Film Noir Guerra História Musical Religião Romance Séries/TV Terror Thriller Viagens Western Erótico
Este País Não é Para Velhos (No Country for Old Men)
TrailerAlugar
95 Prémios e 37 Nomeações
Ano: 2007
País:
EUA
Idade: M/16
Duração: 122 min
IMDB: 8.4 (132.382 votos)
Vencedor de 4 Óscares, incluindo o de "Melhor Filme".

«Este País Não é Para Velhos» é o novo e hipnotizador thriller dos realizadores, já galardoados pela Academia, Joel e Ethan Coen, baseado no aclamado romance do mestre americano, vencedor de um prémio Pulitzer, Cormac McCarthy. O tempo é o nosso, em que os ladrões de gado deram lugar a traficantes de droga e as pequenas cidades se transformaram em campos de tiro.

Com um elenco que inclui o actor galardoado com um Óscar da Academia Tommy Lee Jones (“The Fugitive,” “Men in Black”), Josh Brolin (“Grindhouse”), o também galardoado com um Óscar da Academia Javier Bardem (“The Sea Inside”), Woody Harrelson (“The People Vs. Larry Flynt”) e Kelly Macdonald (“Trainspotting”), «Este País Não é Para Velhos» tem argumento adaptado e realização de Joel e Ethan Coen.

A história começa quando Llewelyn Moss (BROLIN) descobre uma pickup guardada por um grupo de mortos. Um carregamento de heroína e dois milhões de dólares em dinheiro vivo estão ainda na caixa aberta da carrinha.
Quando Moss leva consigo o dinheiro, despoleta uma reacção em cadeia de catastrófica violência, que nem mesmo a lei – na pessoa do idoso e desiludido Xerife Bell (JONES) – consegue travar.

À medida que Moss procura escapar aos seus perseguidores – em particular a uma misteriosa personagem que atira a moeda ao ar para decidir se poupa ou não uma vida (BARDEM) – o filme simultaneamente desmonta o género do crime dramático americano e alarga os seus interesses para abordar temas tão antigos como a Bíblia e tão sanguinariamente contemporâneos como os cabeçalhos desta manhã.
Detalhes Técnicos
Duração: 122 min. Vídeo: Widescreen 2.35:1 anamórfico
Áudio: Dolby Digital 5.1 Inglês, Checo, Hungaro; (stereo) Polaco
Legendas: Português, Inglês, Checo, Croata, Grego, Hebraico, Arabe, Polaco, Sérvio, Bulgaro, Hungaro, Romeno, Esloveno, Islandês, Eslovaco
Comentários dos utilizadores: Escreva um comentário sobre este título
Sólo faltaban los caballos (Pontuação: 7)
Me quedo con el original, definitivamente. Como ya fue mencionado por Rui Cunha, es sólo relacionar el enorme filme de Sergio Leone a los personajes de “No country for old men”. Los hermanos Cohen proponen casi un “remake” de su antecedente. Aún así el filme no desmerece en calidad y sorprende en su globalidad. Tierra sin ley, desiertos con un sol abrasador, sheriff, cowboys, y como ingrediente principal un asesino psicópata, que da miedo sólo de observarlo de lado, (de frente no consigues mirarle sin ponerte nervioso).

El guión es simple y cuenta con todos los integrantes clásicos de un western adaptados a una época actual. Persecuciones, tiros, ajustes de cuentas y personajes que van intercalando dentro del filme una sencilla trama con un efecto bueno en general.

Todos los planos son una genialidad de los Cohen, las escenas de interior son un regalo para la vista. Nada desmerece en técnica esta película. Me agradó sobre todo la forma de rodar el “semi-duelo” entre los protagonistas, unos planos cortos en imágenes que duran pocos segundos y que motivan la acción e imprimen mucho ritmo y agilidad. Geniales los hermanos en esas escenas.

El fallo bajo mi punto de vista fue el personaje de Tommy Lee Jones (Sheriff Ed). Desmerece y empobrece mucho la calidad del argumento y su interpretación deja poco sabor de boca también. Eso no es un sheriff, es un agente de la ley depresivo y bajo de moral. Huyendo de sus competencias y su trabajo de una forma absurda. Como si tuviese miedo de enfrentar y encarar la desproporción de todo lo que le rodea. Quizás eso fuese en realidad un objetivo de los Cohen y yo no he sabido verlo con más complejidad, pero no me gustó dentro del conjunto total. Rompe la buena disposición del estilo que intentaron recrear.

Javier Bardem (Anton Chigurh). De auténtico pavor mi compatriota en esta película. Da mucho miedo. Que frialdad matando a todo lo que se le pone por delante sin piedad. Es como una constante matemática que te persigue obsesivamente, y que no cesará hasta que consiga su objetivo. Curiosa además su arma, te preguntas durante un minuto: para qué quiere eso?, la respuesta no tarda en llegar, es letal y efectiva 100%.

Josh Brolin (Llewelyn Moss). Brillante actuación de Brolin en este papel. Te angustias por y con él. Su desesperación por salir del lío en el que se mete te mantiene expectante hasta el final mientras mentalmente recreas en tu cerebro todas las posibilidades del desenlace, al que no llegas, por más vueltas que le des. Ese final atípico, te llega por sorpresa para dejarte con la boca abierta y una sonrisa un poco amarga.

Lo dicho………..sólo faltaban los caballos en este western, todo lo demás está ahí dentro, hasta el cowboy solitario desapareciendo en el horizonte.
Por Isabel (LISBOA)2009-10-01
sinal +
Grande realização.
Grande desempenho de Javier Bardem numa personagem fantasticamente construída.
Por Miguel Diniz (LISBOA)2009-01-20
Pensem em "O Bom, o Mau e o Vilão" (Pontuação: 8)
Como fan da obra dos irmãos Coen, em particular as suas obras mais negras como "Sangue por Sangue", "História de Gangsters" ou o absolutamente brilhante "Fargo", era com muita curiosidade que aguardava esta obra deles e acabou por corresponder às minhas melhores expectactivas.
Um argumento brilhante, duas interpretações de cortar o fôlego (Bardem e Brolin), um ritmo trepidante a fazer lembrar um bom velho western e uma realização genial e inventiva, "Este país não é para velhos" acabou por triunfar nos óscares e outros festivais um pouco por todo o mundo e é mais um marco na magnifica carreira dos irmãos Coen.
Ao ver este filme não pude deixar de o comparar a um outro, este sim, um western, de Sergio Leone chamado "O Bom, o Mau e o Vilão" em que as interpretações das respectivas personagens estavam a cabo de Lee Van Cleef (O Mau), Eli Wallach (O Vilão) e Clint Eastwood (O Bom). Vejam o filme de Leone e depois o dos irmãos Coen e depois é só relacionar as personagens.
Um conselho: para entender os ambientes deste filme, vejam os filmes supra citados.
Obrigatório!
Por Rui Cunha (ALGUEIRÃO)2008-12-02
Se gostou deste título, também recomendamos:
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer
Trailer

Últimos comentáriosPróximos Lançamentos
03/Jul
Trailer
23/Jul
Trailer